Abril Azul está se encerrando, e com ele surge uma proposta: Que tal olharmos para o espectro para além de abril?

Tags:

Escrito por:Tamires Menezes

Copywriter da Empodera- Mulher negra, publicitária com MBA em Big Data e Inteligência de Marketing. Possui mais de 05 anos de experiência em marketing digital, pautada na publicidade contraintuitiva- ferramenta de enfretamento e problematização de estereótipos e preconceitos sociais recorrentes nos circuitos midiáticos brasileiros.

28 abr, 2022

Durante todo esse mês, foi celebrado a campanha Abril Azul para conscientizar a população sobre o Transtorno do Espectro do Autismo (TEA), popularmente conhecido como autismo. As ações promovidas durante todo o mês incentivaram políticas públicas para promover a inclusão de pessoas no espectro e fomentaram debates sobre as dificuldades do transtorno na sociedade.

Ainda que existam tantas pessoas no espectro- a estimativa é que existam mais de 2 milhões no Brasil – o preconceito com pessoas autistas ainda é muito presente, sobretudo devido à falta de informação sobre o transtorno.

Colaborando com a campanha Abril Azul, para promover uma sociedade mais inclusiva e acolhedora, a Empodera separou alguns tópicos para te ajudar a entender o conceito de autismo. Confira:

O que é o Transtorno do Espectro do Autismo (TEA)?

O Transtorno do Espectro do Autismo (TEA), é um transtorno do desenvolvimento neurológico, caracterizado por desenvolvimento atípico, déficit na comunicação social (socialização e comunicação verbal e não verbal) e manifestações comportamentais (interesse restrito e movimentos repetitivos).

Esses sintomas configuram o núcleo do TEA, mas a gravidade de sua apresentação é variável, visto que existem vários subtipos deste transtorno. Por isso, o termo “espectro” é utilizado.

O que causa o Transtorno do Espectro do Autismo (TEA)?

Apesar de não possuir causas totalmente conhecidas (até os anos 80, acreditava-se que o fator ambiental era a principal causa do TEA), alguns estudos mais recentes apontam que as causas do autismo são majoritariamente genéticas. Estima-se 97% e 99% das causas, sendo 81% hereditário — e ligados a mais de 900 genes.

Como identificar o Transtorno do Espectro do Autismo (TEA)?

Os primeiros sinais de autismo podem aparecer a partir de um ano e meio de idade, embora seu diagnóstico geralmente se dê entre os 2 e 3 anos.

Dificuldade de interação social, hipersensibilidade sensorial e estereotipias motoras (comportamentos repetitivos) podem indicar a presença do TEA.

Embora não haja cura para o TEA, o diagnóstico e tratamentos precoces podem alterar o prognóstico e suavizar os sintomas.

Símbolos do Autismo:

Símbolo de conscientização do autismo na cor azul

Apesar da ressignificação da escolha da cor azul para identificar a campanha de conscientização sobre o Transtorno do Espectro do Autismo (TEA), a escolha da cor se deu, inicialmente, devido ao grande número de diagnósticos em meninos – 4 meninos para cada 1 menina no espectro.

Muitos especialistas acreditavam que meninos eram mais propensos ao diagnóstico TEA do que meninas, o que acabou sendo descarto mais para frente.

Símbolo do autismo, fita da conscientização, com peças de quebra-cabeça azul, vermelho e amarelo.

Adotada em 1999, como o sinal universal da conscientização sobre do autismo, a fita de conscientização, com suas cores e formas variadas, representa a diversidade das pessoas que vivem no espectro, o desejo de inclusão social e conscientização da sociedade.

Símbolo do autismo com quatro peças de quebra-cabeças encaixadas nas cores azul, amarelo, vermelho e verde.

O mais antigo dos símbolos do autismo, o quebra-cabeça criado em 1963, simboliza a dificuldades de compreensão enfrentadas pelas pessoas com Transtorno do Espectro do Autismo (TEA). E justamente pelo seu significado, não é bem aceito pelas pessoas no espectro e não deve ser usado. Para a comunidade autista, o significado deste símbolo traz mais prejuízos à causa do que ajuda no entendimento do autismo.

Símbolo do autismo no formato do símbolo do infinito nas cores do arco-íris

Simbolo Atual do Autismo

Criado pela própria comunidade autista, e utilizado como uma alternativa à fita do quebra-cabeça, o símbolo do infinito com as cores do arco-íris representa a neurodiversidade no Transtorno do Espectro do Autismo (TEA) e a esperança pela inclusão.

Quer saber como a Empodera está comprometida com essa causa?

A inclusão de pessoas autistas no mercado de trabalho brasileiro é garantida pela lei, porém, segundo o IBGE, mais de 80% deles estão fora do ambiente corporativo.

Pessoas no espectro podem encontrar dificuldades dentro do ambiente de trabalho, devido ao preconceito e desinformação dos empregadores.

A Empodera desenvolveu algumas ações sobre o tema, como postagem com curadoria de livros, filmes e mais, e live interna com clientes e parceiros. Além disso, também podemos contribuir para tornar a sua empresa um negócio diverso e inclusivo, combatendo a intensa exclusão no âmbito profissional que pessoas no espectro ainda sofrem. Conheça nossas soluções:

👉 Palestras: Diversidade & Inclusão como fator Estratégico; Vencendo as barreiras para inclusão das pessoas com deficiência.

👉 Roda de conversa: Conexão Empodera.

Quer saber mais sobre como combater o capacitismo na prática? Acompanhe nosso blog e nossas redes sociais.

Posts

Categorias

Saiba como a Empodera pode contribuir no processo de D&I da sua empresa



Talvez você também goste de…

0 comentários

Enviar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.